quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

UM NOVO REINO




Jesus inaugura um novo reino. Novos princípios e novos valores são ricamente alardeados por Jesus. O novo reino restaura a adoração e a comunhão. Homens encontram livre acesso a adoração que não mais é vinculada ao templo e a ritos, enquanto que a comunhão recebe uma interpretação vestida de muito amor.

O fim, o proposito da vinda de Jesus esteve atrelado a reconciliação do homem a Deus e do homem ao seu semelhante. Tudo aquilo que rompeu-se no Jardim do Éden, Jesus restaura com sua vida, morte e ressurreição.

A adoração passa a ser não uma obrigação ritualística, mas uma razão de amor do homem ao seu amado libertador. A gratidão e a alegria predomina o coração daqueles que foram livres. Somos gratos pela liberdade e felizes por vivermos agora verdadeiramente livres.

O princípio da adoração do novo reino remete-nos a uma relação intima com o alvo da adoração. A oração ensinada por Jesus evidencia uma proposta de afetividade, somos filhos e como tais devemos fugir de todo o protocolo religioso que distancia o afago e o mimo do Pai. Na intimidade dessa relação revelamos quem de fato e de verdade somos, não necessitamos mais da aparência religiosa, dos fariseus, das orações nas praças, dos “adornos” que nos faziam mais santos. Não! Nada disso cabe na relação proposta por Jesus, o Pai ver o secreto.

Assim, também, a comunhão entre os iguais deixa de ser um jogo de interesse, onde há o entendimento de que para amar e ser amado tenho que ser alguém de fato não sou. O parâmetro dessa comunhão é a capacidade que tenho de ver o outro como gostaria de ser visto, de amar como me amo. A falha, o defeito, o erro, ou o que seja do outro não é maior que os meus. O valor está no servir e jamais no ser servido. Onde o perdão é exercido sem nenhuma prerrogativa quantitativo, mas uma ação impelida de pela capacidade de andar uma segunda milha.

Esse novo reino faz com que eu e você entenda o amor pelo qual fomos amados, como esse amor foi revelado através de Jesus. Os princípios por Ele ensinado com o seu reto andar e viver devem ser admirados e observados por nós que decidimos seguir seus passos.
Portanto, adorar a Deus passa pela racionalidade de quem hoje somos. E hoje somos gratos e felizes, por isso nos prostramos numa relação de intimidade e amor, mas também hoje podemos viver em harmonia e comunhão como o semelhante, pois fomos livres para esse fim.

Na graça e no doce amor de Cristo.

PrimeCursos do Brasil
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

1 comentários:

Pr. Bessa disse...

Meus parabéns! Gostei muito do seu blog. Que o Senhor Jesus Cristo te abençoe, abundantemente.

Visite o meu blog e me adicione ao seu. Vamos fazer uma parceria. Aguardo sua confirmação.

Acesse: http://iijesuseocaminho.blogspot.com

Abraços.

Postar um comentário

Leitura Online

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger